Painel de Controle

Teste sua Velocidade Internet

Invasão Mobile

Não tem mais volta. A invasão mobile atingiu em cheio as mãos da maior parcela da população mundial. Os smartphones estão se tornando quase que uma extensão do corpo humano, sendo indispensáveis no dia a dia. Os usuários não “desgrudam” dos seus aparelhos e esses se tornam cada vez mais multissensoriais para atender as necessidades dos usuários. Para se ter uma ideia, a população mundial atualmente é de 7,5 bilhões de pessoas. Destas, 1,6 bilhão já estão conectadas através de dispositivos móveis, de acordo com um estudo feito pela ZDNet. Estima-se, ainda, que 350 milhões desses smartphones são para uso corporativo, ou seja, uma pessoa pode muito bem ter dois aparelhos, um pessoal e um para o trabalho. Uma projeção feita pela empresa de tecnologia Cisco, prevê que em 2020 esse número chegará a 5,4 bilhões. Haverá mais pessoas no mundo com smartphones que com eletricidade (5,3 bilhões), água potável (3,5 bilhões) e outros bens de consumo, como automóveis (2,8 bilhões). A invasão mobile no Brasil No Brasil vemos o uso dos smartphones aumentar a cada ano. De acordo com dados da 27ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), o Brasil chegou a 168 milhões de smartphones em uso no ano de 2016.

Além disso, o uso do telefone celular para acessar a internet ultrapassou o do computador pela primeira vez no Brasil. É o que aponta o Suplemento de Tecnologias de Informação, divulgado pelo IBGE. De acordo com o estudo, o celular é usado em 80,4% das casas para acessar a internet, já o computador para esse fim é usado em 76,6% desses domicílios. Os aparelhos móveis também desempenham um papel central na vida das pessoas. Uma pesquisa global divulgada pela Symantec constatou que aproximadamente 73% dos brasileiros que possuem smartphone não saem de casa sem ele. Para os jovens, é o item mais importante, à frente dos documentos e de dinheiro. A comunicação ainda é o principal motivo Mesmo com tantos aplicativos disponíveis, as funcionalidades ligadas à comunicação no smartphone ainda são as mais importantes. Segundo analistas da consultoria eMarketer, a cada 10 brasileiros, 8 usam diariamente seu dispositivo móvel para enviar e-mails, fazer chamadas e enviar mensagens.

Entre os vinte aplicativos mais usados pelos 72,4 milhões de brasileiros conectados por smartphones, seis são de redes sociais ou de troca de mensagens, quatro são de bancos, três são de e-mail e dois são de mapas e localização. Ainda segundo o estudo, 92% das pessoas se conectam por meio de Wi-Fi, seja de casa, do trabalho ou da escola. Somente 60% usam planos de dados das operadoras e 53% utilizam pontos de Wi-Fi gratuitos em outros locais. A pesquisa ainda aponta que os brasileiros estão hiper conectados e se mantêm on-line durante horas por dia usando seus smartphones e tablets. Em comparação com o ano de 2015, 87% dizem que estão realizando mais atividades nos seus smartphones e 80% acreditam que ainda utilizarão mais intensamente esses aparelhos em 2017. Atualmente, os brasileiros passam em média 20,7 horas por semana conectados aos seus dispositivos móveis, enquanto que 38% passam mais de 30 horas. Na faixa entre 10 e 29 horas por semana, o índice também é de 38% e apenas 24% ficam menos de 10 horas. O maior uso do smartphone acontece antes de dormir Em quais horas os brasileiros costumam usar mais o smartphone? Segundo dados da Nielsen Ibope, 63% do público tende a usar mais o aparelho durante a noite, das 20h às 22h. O horário do almoço (53%), 12 às 14, e do pós-trabalho (55%), também são bem requisitados.

A pesquisa Mobile Report também perguntou aos brasileiros quais as situações em que o smartphone é mais utilizado. Navegar na internet dentro do banheiro apareceu entre os momentos mais comuns. Um quinto dos usuários brasileiros de smartphones disse que faz isso. Entre os principais hábitos, também estão aqueles que já acordam com o celular na mão, cerca de 24%, e os que o usam enquanto assistem TV, que somam 34%. Quase metade dos entrevistados, lança mão do aparelho para tornar qualquer espera menos dolorosa e, em vez de contar carneirinhos, 48% dão aquela conferida nas redes sociais antes de dormir. Esse hábito é muito mais comum entre os adolescentes. Enquanto que, na média de todos os usuários de smartphones conectados, 48% olham o smartphone antes de deitar, entre os adolescentes esse hábito atinge 62%. Compras e pagamentos No entanto, as pessoas ainda não se renderam às operações mais significativas através do smartphone. De acordo com uma pesquisa realizada pela Ericsson, 56% da população do Brasil ainda não utiliza seus dispositivos móveis para fazer compras. Além da insegurança, 37% dos entrevistados indicaram a inconveniência e 24% citaram a complicação como obstáculos consideráveis.

Mesmo assim, o m-commerce (comércio eletrônico realizado a partir de um dispositivo móvel) deve movimentar cerca de R$ 27,4 bilhões em 2016, segundo uma pesquisa realizada pela Ipsos/PayPal no final de 2015. O m-commerce vem crescendo a 107% ao ano, ritmo três vezes mais acelerado do que o e-commerce tradicional. Alguns segmentos como a moda, por exemplo, já registram mais de 40% de suas vendas via mobile. No Brasil, 34% dos participantes desse estudo disseram ter pagado por uma compra online com o celular ou tablet nos 12 meses anteriores. A média verificada em outros 22 países que fizeram parte da pesquisa ficou em 33%. Para eles, esta é uma forma mais conveniente (43%) e rápida (35%) de pagar por suas compras. Além disso, em 2015, 41% dos internautas brasileiros realizaram pelo menos uma operação de compra de mercadorias físicas usando seu smartphone e 93% das pessoas usam o celular para pesquisar e concluir uma compra de um produto ou serviço. Mobile First Os smartphones também passaram a interferir na maneira como os sites são criados. Desde 2014, quando a quantidade de pessoas que acessa a web via smartphone superou a de acesso via desktop e notebook, uma nova perspectiva denominada Mobile First vem se consolidando.

Este conceito denomina os sites que são planejados e desenvolvidos com a finalidade primeira de atender às demandas das tecnologias móveis (telas pequenas) ao invés das dos desktops (telas grandes). Além disso, o design responsivo, onde o formato mobile é pensado primeiro, ganhou ainda mais importância, quando foi apontado como um ponto importante nos fatores de ranqueamento do Google. Isso porque uma das políticas da empresa é oferecer aos usuários uma excelente experiência online. Para os desenvolvedores, o Mobile First também é interessante porque significa que um único site será construído, poupando o problema de lidar com diferentes versões do mesmo site na hora de fazer sua manutenção ou evolução. Com o design responsivo, os elementos e funcionalidades que aparecem na tela variam, o jeito de navegar varia e o tempo que você tem para ler textos varia.

Quais as diferença entre phablet, smartphone e tablet ?

Essa é uma dúvida de muitas pessoas ao fazer a compra de um celular, especialmente quando se está importando da China, pois os anúncios geralmente trazem a informação: “Phablet ou smartfone”, então nessa publicação vamos trazer uma explicação clara para que você possa saber quais são as diferenças entre eles e nunca mais esquecer!

Sabia que você pode ter um Phablets e não um Smartphone? Sim! Isso mesmo, você tem um Phablets e nem sabia disso, já quem busca aparelhos para comprar lá da China, sempre acaba se deparando com diversos modelos e marcas que trazem nas suas descrições a informação Phablets ou Smartfone.

Mas qual a diferença do Phablets para o Smartphone? Então vamos as respostas!

O que é Smartfone

Em tradução livre, como o próprio nome diz, um smartfone, é nada mais que um celular inteligente, afinal além de fazer ligações como qualquer aparelho telefônico, ele é capaz de realizar inúmeras outras tarefas e possuir inúmeras outras aplicações.

Porém um aparelho para ser um smartfone, não pode ter mais que 5 polegas(4,99 polegadas para ser mais preciso), acima disso, o aparelho já é considerado um Phablets.

O que é Phablets

Já os Phablets, também chamados em alguns locais de phoblet, fablet ou foblet, são na verdade uma mistura de Smartphones com Tablets, pois tem as características dos Smartfones, porém trazer uma tela maior que a dos smartfones no entanto não grande para serem considerados um tablet.

Se você perceber o nome Phablet, nada mais é que combinação das palavras phone e tablet.

As telas dos Phablets vão de 5 até 7 polegadas(6,99 polegadas para ser mais preciso).

O primeiro phablet da história foi o Galaxy Note, lançado pela Samsung na IFA 2011 em Berlim, em outubro de 2011, segundo a Wiki.

Outro detalhe importante em relação aos phablet, é que são todos de inteiro Touch Screen Capacitivo.

O que é Tablet

Por fim temos os tablet’s, cuja telas começam com o tamanho de 7 polegadas e vão até 10.2 polegadas, porém é possível encontrar no mercado aparelhos chamados de tablet que possuem telas de até 11 polegadas por exemplo, então como não existem regras fixas para essas definições, algumas pessoas chamam esses tablets de telas gigantes e 11 polegadas de Notebook’s Touch Screen. Então qual é a diferença?

Então de maneira simplista, como podemos observar a principal diferença entre phablet, smartphone e tablet está relacionado ao tamanho da tela que estes possuem!

Então para você que diz que o Mi Max 2(video abaixo) parece um tablet, você está errado, pois com a sua tela de 6.44 polegadas o Mi Max 2 é apenas um phablet como tantos outros! Exemplos de smartfones, phablet e tablet

O Oneplus 5 é um Phablet!

Agora que você já está sabendo tudo sobre o assunto, vamos aos exemplos!

O Oneplus 5 por exemplo, ele possui uma tela de 5.5 polegadas, então ele é considerado um phablet, o mesmo acontece com o Mi6, que apesar de possuir um tela menor que do Oneplus 5, tem uma tela superior a 5 polegadas, então ele também é um phablet, e você sempre irá encontrar um phablet na maioria dos anúncios de vendas deste aparelho na internet.

Lembrando, se o aparelho tem uma tela entre 5 e 7 polegadas ele é um Phablet ! Simples assim!

O Xiaomi Redmi 4X cuja versão trás uma tela de 5 polegadas é considerado um smartfone, e não um phablet, até mesmo nos anúncios de venda do aparelho como nesta página por exemplo, veremos a informação “Xiaomi Redmi 4X 4G Smartphone”.

Bem tablet’s dispensam exemplos, afinal possuem uma bem grande que fica entre 7 e 10,2 como explicamos anteriormente.

Fonte UDULUIZ

Fonte RAFFCOM